fbpx

Notícias

Qualidade sanitária do Queijo Minas Artesanal é tema de curso ofertado pela Emater/MG na Fazu

//
Comentário0
/
Categorias,

A Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba) recebe durante esta semana cerca 40 técnicos para Curso de Capacitação na Melhoria da Qualidade Sanitária do Queijo Minas Artesanal, ministrado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG).

O curso acontece no campus da Fazu por meio de parceria firmada com a Emater/MG. “Além das atividades desenvolvidas nas áreas científica e cultural da faculdade, o convênio com a Emater/MG ainda prevê bolsas de estudos de 15%, para colaboradores da Emater, nos cursos de graduação da Fazu, exceto Agronomia e Agronegócio, e ainda oferece desconto de 10% em análises bromatológicas e de solos para produtores rurais indicados pela Emater”, conta o diretor acadêmico da Fazu, Carlos Henrique Cavallari Machado.

Antenada no forte apelo histórico, cultural, econômico e social do Queijo Minas Artesanal, e ciente da necessidade de melhorar a qualidade sanitária do produto, a Emater/MG oferta o curso através do Convênio 839450/2016, assinado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

O convênio prevê o atendimento a 600 produtores dos 75 municípios inseridos nas sete regiões produtoras caracterizadas (Araxá, Canastra, Campo das Vertentes, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro). A turma capacitada na Fazu é a terceira e os participantes são das regiões de Araxá, Cerrado e Serra do Salitre.

De acordo com a coordenadora estadual do Programa Queijo Minas Artesanal da Emater-MG, Maria Edinice Rodrigues, o objetivo é a melhoria da produção e qualidade do Queijo Minas Artesanal. “O Estado trabalha com um número de 9 mil famílias que produzem um total de 220 mil toneladas do Queijo Minas Artesanal por ano. O Programa Queijo Minas Artesanal foi desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais para aprimorar a qualidade do produto. A Emater-MG orienta os produtores em boas práticas de fabricação, para garantir a segurança alimentar e facilitar o cadastramento das queijarias junto ao IMA, órgão responsável pela inspeção sanitária. Entre os objetivos do programa estão a segurança alimentar, por meio do controle sanitário no processo de produção, o incentivo e fortalecimento à organização dos produtores e a legalização das queijarias”.

Deixe uma resposta