Single Blog Title

This is a single blog caption

Professora e alunos da Fazu têm artigo publicado na Revista PubVet

//
Postado por
/
Comentário0
/
Categorias

Com o tema “Resistência a doramectina e alternativas diagnósticas para o controle seletivo de helmintos gastrintestinais em ovinos”, o artigo foi publicado na edição de setembro da Revista Científica Pubvet. O artigo é fruto do trabalho de iniciação científica = da aluna Júlia Ferreira Cury Silva, juntamente com os alunos Olivia Cristina Ferreira e Luis Eduardo Mendonça de Almeida. O projeto foi orientado pela professora Amanda Pifano Neto Quintal, com o apoio dos professores Maico Henrique Barbosa dos Santos, Antonieta Laurenia Gomes e André Belico de Vasconcelos. Este projeto foi considerado o melhor trabalho de Iniciação Científica em 2018, desenvolvido por completo na Fazu. A pesquisa foi financiada pela Fazu por meio da bolsa PIC. Clique aqui para ler o artigo.

Resumo do artigo O uso indiscriminado de antiparasitários no manejo preventivo e o tratamento tem levado propriedades ao problema da resistência, com elevadas perdas, por isso, este estudo avaliou testes diagnósticos para verificação da resistência farmacológica; visando, posteriormente, o tratamento seletivo em animais susceptíveis clinicamente e/ou com alta carga parasitária. Foram utilizados 45 ovinos mestiços, machos e fêmeas, adultos e filhotes, de uma fazenda em Uberaba, Minas Gerais. Todos os animais foram submetidos ao manejo zootécnico apropriado seguidos com realização de testes diagnóstico Famacha, hematócrito e contagem de ovos por gramas de fezes (OPG). Posteriormente foi realizado tratamento de todos os animais com doramectina e repetição dos mesmos testes diagnósticos, comparando o mesmo animal antes a após o tratamento pelo teste T pareado. Não foi verificado resistência a doramectina nos adultos (P > 0,05); entretanto, foi verificado resistência em filhotes (P < 0,05). Estes, foram posteriormente tratados com levamisol e repetido novamente os testes diagnósticos, observando a redução da carga parasitária, aumento do hematócrito e melhores índices Famacha (ANOVA P < 0,05). Adultos não foram tratados com levamisol. A regressão linear entre o método Famacha e hematócrito avaliou o grau de treinamentos dos manipuladores, com maiores dificuldades em animais jovens. O monitoramento contínuo dos animais pelos métodos diagnósticos permitiu a identificação de resistência a doramectina e que o tratamento farmacológico subsequente ocorresse de forma seletiva, somente em animais com sinais clínicos e/ou elevada carga parasitária, minimizando custo e a possibilidade de resistência medicamentosa.

Deixe uma resposta