fbpx

Notícias

Professor da Fazu visita projetos de fazendas no estado do Mato Grosso

//
Comentário0
/

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Juliano Ricardo Resende, visitou seis fazendas no estado do Mato Grosso. Somando mais de 50 mil cabeças, estes clientes têm em comum o sistema de produção de carne em pasto intensivo adubado no período chuvoso e sistema de confinamento a pasto na seca.

“No período das águas, a lotação é de 5 a 8 UA/há, e na seca fornecemos silagem de capim a 1,2% da matéria seca mais concentrado. A fazenda São Domingos possui 600 há e mantem 5.000 cabeças o ano todo ajustando o déficit de forragem com silagem de mombaça. Nesta propriedade, fazemos 3 giros de gado por ano abatendo próximo de 15.000 cabeças ano. Por ser novilhas conseguimos ganho de peso de 1 kg/dia, peso de entrada de 270 kg, peso de saída de 390 kg. O rendimento de carcaça fica em torno de 53 a 54%. A fazenda Santa Maria do grupo Leopoldino tem um desafio inovador que é intensificar as pastagens para manter vacas em reprodução. Este projeto visa inicialmente manter 12.000 vacas em 2.000 há nas águas, na seca usar pasto de inverno plantado na colheita da soja e um curto confinamento de 60 dias nos meses de setembro e outubro. Os demais projetos são novos, porém promissores”, comenta Juliano.

Segundo o professor Juliano, que é especialista nessa área de pastagem intensiva, os custos de produção têm obrigado os produtores a intensificar suas pastagens, aumentar rebanho, diluir custos fixos e buscar cada vez mais tecnologia para se manter na atividade. “Tenho trabalhado com consultoria em pecuária de corte e leite já há 14 anos e nunca vi tanta demanda de trabalho com clientes que já nos procura buscando orientações para intensificar. Vejo também um aumento significativo de pecuaristas que iniciam um sistema de cria para fechar todo o ciclo visto que a reposição está inviabilizando esta atividade. Intensificando a recria e engorda sobra área para se fazer cria e fechar todo o ciclo”, afirma o professor.

Deixe uma resposta