fbpx

Notícias

Professor da Fazu participa de evento da Scot Consultoria e orienta produtores de carne e de leite

//
Comentário0
/

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Adilson de Paula Almeida Aguiar, esteve entre os dias 01 e 05 de outubro trabalhando nos estados de São Paulo, Bahia e Goiás, ministrando palestra em evento e atendendo produtores de carne e de leite.

Encontro de Adubação de Pastagens | Encontro dos Encontros | Scot Consultoria

No dia 01 de outubro, o professor Adilson esteve em Ribeirão Preto, estado de São Paulo, onde ministrou a palestra “Aprenda a usar fósforo na adubação da pastagem”, durante o VII Encontro de Adubação de Pastagens dentro de um evento maior que é o Encontro dos Encontros da Scot Consultoria, do qual participaram este ano mais de 1.500 pessoas de 19 estados brasileiros, do Distrito Federal e representantes do Chile, Paraguai, França e Inglaterra. O professor Adilson vem ministrando anualmente palestras no Encontro de Adubação de Pastagens da Scot Consultoria desde 2013.

Além da palestra, o professor Adilson participou, durante uma hora, da mesa redonda ao final do bloco “Agora é que são eles: o encontro dos mestres”, respondendo perguntas dos participantes do encontro. Participaram deste bloco os pesquisadores Doutor Rafael de Souza Nunes, da EMBRAPA Cerrados (CPAC – Centro de Pesquisa Agropecuária do Cerrado, de Planaltina, Distrito Federal), o Doutor Heitor Cantarella, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), do Estado de São Paulo, o Doutor Vinicius de Melo Benites, da EMBRAPA Solos, do Rio de Janeiro, e o professor Doutor Moacyr Corsi, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP), de Piracicaba, estado de São Paulo. O engenheiro agrônomo e doutor Eros Francisco, da Efran Agro Consultoria foi o moderador da mesa redonda.

Inhambupe, Bahia

Já no dia 02 de outubro o professor Adilson trabalhou no município de Inhambupe, no estado da Bahia, para fazer um inventário e emitir um diagnóstico de uma propriedade que está à venda, para dar suporte à tomada de decisão de compra para um cliente que o professor, junto com o seu colega o zootecnista e professor da Fazu, Juliano Ricardo Resende, atendem desde 2006. O professor Juliano trabalha neste projeto entre quatro a seis vezes por ano e o professor Adilson uma vez a cada 2 anos.

Atualmente, este cliente, atendido pelos professores Adilson e Juliano, tem um rebanho de 17.000 cabeças, das quais 5.000 são fêmeas em idade à reprodução, em uma área de 11.000 ha de pastagens. Na estação reprodutiva 2019/2020, o número de fêmeas em reprodução alcançará 7.000 cabeças e o rebanho passará de 20.000 cabeças. Quando os professores Adilson e Juliano começaram a atender aquele cliente o rebanho era de 1.800 cabeças.

Para emitir o diagnóstico da compra ou não da propriedade, o professor Adilson fez um inventário de todos os recursos disponíveis (clima, solos, localização, logística, mercado, condição das pastagens, possibilidade de cultivos agrícolas, preços da terra e da arroba etc) e andou em toda a propriedade. A área total desta fazenda é de 4.700 ha, dos quais 3.500 ha são úteis.

BR Milk

Nos dias 04 e 05 de outubro o professor Adilson trabalhou pela quarta vez, em 2019, no projeto da BR Milk na Fazenda Larga, no município de Formosa (GO) para dar continuidade na orientação da evolução deste projeto dando continuidade ao trabalho que começou em maio de 2018 com a etapa de inventário de recursos com base no qual foi emitido o diagnóstico da situação atual e da potencial deste projeto.

“A Fazenda Larga tem uma área total de 1.174 ha dos quais 823 ha úteis. Da área útil 180 ha são irrigados por 4 pivôs centrais. Atualmente 60 ha irrigados por 2 pivôs estão cultivados com capim-tifton 85 destinados à vacas em lactação, os outros pivôs são cultivados com soja, milho e sorgo”, destaca o professor.

Os 2 pivôs explorados com pastagens estão modulados cada um em 20 piquetes divididos por cercas elétricas para o pastoreio de lotação rotacionada, com bebedouro em cada piquete. As pastagens em sequeiro (não irrigadas) são exploradas para as categorias de cria e recria de fêmeas leiteiras para a reposição, e vacas secas. O projeto é relativamente novo, teve início com a compra de fêmeas leiteiras (bezerras e novilhas), em 2015.

“A meta dos proprietários é alcançar, numa primeira fase, um rebanho com 1.000 vacas em lactação em uma área de 80 ha de pastagens de capim-tifton 85 irrigadas por pivôs centrais sendo suplementadas apenas com concentrados para um volume de produção de 15.000 litros por dia, afirma Adilson.

No dia 05 de outubro estavam em lactação 289 vacas produzindo 3.480 litros de leite por dia com produtividade média de 12 litros/vaca/dia, vacas pesando em média 420 kg consumindo 4.4 kg de concentrado/vaca/dia. A taxa de lotação nas pastagens irrigadas estava em 8.15 UA/ha.

Nesta etapa, o professor Adilson fez orientações para o manejo do pastejo, o manejo da fertilidade do solo, o controle de plantas invasoras, a criação de bezerras, a suplementação concentrada, ambiência animal, a gestão dos indicadores técnicos e econômicos.

Deixe uma resposta