Notícias

Professor da Fazu orienta projetos pecuários de corte e de leite em São Paulo e Goiás

//
Comentário0
/
Categorias

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Adilson de Paula Almeida Aguiar, seguindo as orientações de projetos na área de produção animal a pasto, esteve entre os dias 18 e 23 de junho atendendo três clientes nos estados de São Paulo e Goiás.

Fazendas São Francisco e Santo Antônio

Entre os dias 18 a 20 de fevereiro o professor Adilson de Paula Almeida Aguiar, retornou às Fazendas São Francisco e Santo Antônio, em Mogi Mirim, estado de São Paulo para dar andamento ao programa de consultoria técnica/econômica nos projetos destas duas propriedades. Este foi o segundo trabalho nestes projetos do ano de 2018.

As Fazendas São Francisco e Santo Antônio são de propriedade do senhor Antônio Carlos Canto Porto Filho que administra em conjunto com dois dos filhos.

“Na Fazenda São Francisco são desenvolvidas várias atividades, tais como o projeto de produção de leite com vacas Gir e Girolando, o programa de transferência de embriões, de FIV, destas raças, e o projeto do núcleo de seleção de equinos da raça Crioulo, e a In Vitro Clone, entre outras”, comenta Adilson.

No dia da visita, o rebanho que estava em pasto era composto por 243 vacas em lactação produzindo 4.351 litros por dia com produtividade média por vaca de 18 litros com taxa de lotação média em pastagens irrigadas de 12,2 vacas/ha e 15,4 UA/ha. As vacas estavam em pastagens de capim-tifton 85 sobressemeadas com aveia e azevém e suplementadas com silagem de milho e concentrado.

No projeto de seleção de equinos da raça Crioulo tinha um rebanho de 79 animais em pasto com taxa de lotação média de 2,6 UA/ha. “A expansão do projeto de leite será feito na Fazenda Santo Antônio onde no projeto final serão ordenhadas 1.460 vacas em um sistema muito intensivo em pastagens irrigadas para a produção de um volume diário de 34.000 litros”, afirma o professor.

Os projetos das Fazendas São Francisco e Santo Antônio são gerenciadas por Geraldo Donizete Marcantônio que está à frente do projeto por 24 anos, e por um dos seus filhos, o médico veterinário Thiago Nogueira Marcantônio.

O consultor Ernane Ferreira Campos, gerente de bovinos de leite da REHAGRO, orienta a gestão com o uso do software Ideagri e o programa nutricional de suplementação.

Neste projeto, o professor Adilson orienta o manejo da pastagem nas áreas de escolha das espécies forrageiras, estabelecimento da pastagem, manejo do pastejo, correção e adubação do solo, controle de plantas invasoras e pragas. Também orientou a implantação da infraestrutura de piquetes, bebedouros, e fez a análise de viabilidade técnica e econômica do novo projeto que está sendo implantado na Fazenda Santo Antônio.

Agropecuária Topgen WV

Entre os dias 20 e 22 de junho, o professor Adilson Aguiar trabalhou, pela segunda vez em 2018, no projeto da Agropecuária Topgen WV, na região norte do estado de Goiás, no município de Amaralina. O primeiro trabalho em 2018 foi no dia 26 de abril quando o professor Adilson ministrou a palestra “Fundamentos do manejo da pastagem da Agropecuária Topgen” no 3º Dia de Campo da Agropecuária Topgen WV”.

Em 2017, o professor Adilson trabalhou três vezes neste projeto, em fevereiro, maio e novembro. “A Fazenda Topgen pertence à Agropecuária Topgen e possui uma área de 3.770 hectares dos quais 1.581 ha são para preservação ambiental e os restantes 2.189 ha são produtivos. Destes 1.265 foram cultivados com lavouras, 120 ha com sorgo forrageiro para a produção de silagem e o restante com soja, na safra 2017/2018. Em fevereiro de 2018, 472 ha foram semeados com sorgo para a produção de grãos e o restante da área cultivada com soja foi sobressemeada com a espécie Panicum maximum cultivar Mombaça, para a produção de forragem para a seca, como pastagens de inverno”, explica.

Os 1.060 ha restantes foram explorados com pastagens perenes intensivas cujos solos foram corrigidos e adubados durante três a quatro anos com cultivo de soja, e continuam sendo corrigidos e adubados durante o ciclo da pecuária. Nos dias deste último trabalho do prof. Adilson o rebanho estava pastejando em 1.060 ha de pastagens perenes e 697 ha de pastagens de inverno. Sobre esta área pastejavam 3.432 animais, correspondendo a 2.852 unidades animais (UA), com taxas de lotação de 2.0 cabeças/ha e 1.6 UA/ha.

“Para o período chuvoso da safra 2018/2019 o uso da terra se dará nas seguintes proporções: serão cultivados 1.169 ha de soja e 120 ha de sorgo forrageiro para a produção de silagem e o rebanho pastejará em 1.015 ha de pastagens perenes. Serão em média 4.507 animais, com taxa de lotação de 4,4 cabeças/ha e 3,4 UA/ha”, comenta.

A atividade desenvolvida pela Fazenda Topgen é o ciclo completo (cria/recria/engorda) com 2.367 fêmeas em idade reprodutiva para a próxima estação de monta em um programa de melhoramento genético orientado pelo Qualitas. A cria e a recria são desenvolvidas em pastagem com suplementação mineral (fêmeas e machos adultos em reprodução) e suplementação múltipla protéica/energética/mineral para os animais de recria. A engorda é feita em confinamento. O progresso genético do rebanho da Topgen tem sido rápido e significativo, com índices atuais acima da média do programa.

O prof. Adilson Aguiar foi contratado para orientar a continuidade do projeto de intensificação da produção em pasto e implantar, acompanhar e orientar um programa de gestão dos custos e da análise de resultado econômico da atividade.

Fazenda Sossego

Nos dias 22 e 23 de junho, o professor Adilson trabalhou, pela primeira vez em 2018, no projeto da Fazenda Sossego no município de Água Fria de Goiás. Este é o terceiro serviço prestado em campo pelo professor Adilson. O primeiro serviço foi nos dias 15 e 16 de setembro de 2017 com o objetivo de inventariar todos os recursos disponíveis para com base em um inventário emitir um diagnóstico da situação atual e da potencial da propriedade.

O segundo serviço foi nos dias 20 e 21 de outubro de 2017 com o objetivo de apresentar o diagnóstico com o inventário de recursos que foi elaborado na visita de setembro e apresentar um projeto para a aprovação do proprietário e de sua equipe de trabalho.

“A Fazenda Sossego tem uma área total de 4.500 ha, destes 3.200 são úteis e 1.300 são para preservação ambiental. Dos 3.200 ha úteis, 1.992 ha são cultivados com cultivos agrícolas, sendo 981 ha irrigados, destes 870 ha com pivô central, para a produção de grãos (no caso do milho a produtividade passa das 230 sacas/ha e na soja 90 sacas/ha), sementes (de milho e soja) e café, e mais 111 ha eram irrigados por gotejo nas culturas de café e banana, agora só tem o cultivo de café. Nos pivôs, além de café são cultivados soja e milho na primeira safra, e aveia, batata, feijão e trigo na segunda safra. Nos 2.011 ha em sequeiro são cultivados soja na primeira safra e milho na segunda safra, com produtividade de 90 sacas/ha, mas quando é cultivada na primeira safra a produtividade passa de 170 sacas/ha. A maior parte do cultivo de milho e soja á para a produção de sementes e não de grãos. Já os 208 ha restantes da área útil eram explorados para a atividade pecuária, sendo 68 ha para equideocultura da raça Crioulo, e os 140 ha restantes para a bovinocultura de corte da raça Braford e cruzamentos com a raça Angus”, destaca o professor Adilson Aguiar.

O professor Adilson foi contratado para orientar um projeto de expansão da atividade pecuária com integração com lavoura. Para o ano safra 2018/2019 a área de pastagens será expandida para 228 hectares para a pecuária bovina e os 68 há para a equideocultura serão mantidos. Já na safra 2019/2020 a área de pastagens será expandida para 340 ha sendo que para da área de expansão será com pastagens irrigadas por pivô central.

Nesta viagem, o prof. Adilson esteve mais uma vez acompanhado pelo engenheiro agrônomo Demetrius Mesquita, egresso do curso de Agronomia da Fazu, graduado em 1996. Durante a sua graduação, Demetrius foi monitor das disciplinas Forragicultura e Pastagens e Plantas Forrageiras, ministradas pelo professor Adilson desde 1991. Também fez estágios em várias fazendas assistidas pelo professor Adilson e, logo após a sua graduação, ainda trabalhou com o professor por alguns anos.

Segundo o professor Adilson, em 27 anos ministrando aulas no curso de Agronomia da Fazu, Demetrius foi um dos poucos alunos da Agronomia que se interessou pela pecuária e pela ciência pastagens. Atualmente, ele é responsável pelo projeto de pecuária das fazendas da família onde seleciona Gir Leiteiro, Mangalarga Marchador e gado de corte.

Deixe uma resposta