Notícias

Professor da Fazu orienta projetos em fazendas nos estados do Pará, Tocantins e Goiás

//
Comentário0
/

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Adilson de Paula Almeida Aguiar, trabalhou entre os dias 20 e 23 de março em fazendas nos estados do Pará, Tocantins e Goiás, prestando serviços de consultoria para o empresário Adriano Carvalho, técnico agrícola de profissão, que além de pecuarista é também proprietário e diretor comercial da Centrovet, uma distribuidora de produtos veterinários que tem sede em Goiânia, Goiás.

Nos dias 21 e 22 de março os trabalhos foram na Fazenda Itaporanga, que fica no município de Xinguara, região Sul do Pará. “A área total desta propriedade mede 5.217 ha, dos quais 3.800 são úteis, e destes 2.960 são efetivamente empastados, nos quais em 2018 suportaram 3.400 cabeças de bovinos, com taxa de lotação média de 0.8 UA/ha com desempenho individual médio de 6.0 @ e produtividade por área de 6.9 @/ha/ano. A atividade econômica desenvolvida nesta fazenda é a recria e engorda de bovinos machos”, comenta o professor.

Já nos dias 22 e 23 de agosto o trabalho foi na Agropecuária Paraíso (ARPA), localizada no município de Duerê, estado do Tocantins. A propriedade foi comprada no final de 2017. Nesta safra 2018/2019 foram cultivados 246 ha de soja, 426 ha de arroz e 666 ha de pastagens recém-plantadas com os capins Braquiarão, Massai e Mombaça.

De acordo com o professor, no dia 23 de março o trabalho foi no Goiás, nos municípios de Morrinhos e Pontalina, nas regiões Sul e Sudoeste do estado, nas Fazendas Boa Vista (em Pontalina) e Serra (em Morrinhos). A fazenda Espora de Prata, localizada em Aurilândia, não foi visitada desta vez. Nestas três fazendas a área total somam 2.703 hectares (ha), dos quais 2.410 ha são explorados com pastagens para a atividade de recria e engorda de machos, com um rebanho médio em 2018 de 4.128 animais, taxa de lotação média de 1.15 UA/ha com desempenho individual médio de 5.3 @/cabeça/ano e produtividade por área de 9.04 @/ha/ano”.

Os inventários de recursos, com base nos quais o professor Adilson emitiu os diagnósticos da situação atual e da potencial dos projetos das fazendas dos estados de Goiás e do Pará foram realizados em junho e julho de 2017, e da fazenda do Tocantins, foi em agosto de 2018.

O principal foco da consultoria do professor nestes projetos será o de recuperar e renovar pastagens degradadas, modular a área de pastagem para a adoção de pastoreios de lotação alternada e rotacionada, o controle de plantas infestantes e de cigarrinhas-da-pastagem e intensificar as variáveis taxa de lotação, desempenho individual e produtividade por hectare por meio da tecnologia de correção e adubação do solo da pastagem e da suplementação animal. O ponto forte nestes projetos são os controles dos indicadores técnicos e econômicos feitos pelo proprietário que dá um foco especial nesta gestão.

Deixe uma resposta