fbpx

Notícias

Professor da Fazu orienta projetos de pecuária de corte e de leite em Minas Gerais

//
Comentário0
/

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Adilson de Paula Almeida Aguiar, junto com seu colega de profissão o Zootecnista Lucas Castro Silva, egresso do curso de Zootecnia da Fazu e diretor da empresa Lancer, parceira da Consupec, empresa de consultoria do professor Adilson, trabalharam em projetos de pecuária de corte e de leite nos municípios de Passos, Cedro do Abaeté e Luz, todas no estado de Minas Gerais.

Grupo Cabo Verde

No dia 12 de dezembro o professor Adilson e Lucas trabalharam a Fazenda Santa Luzia, em Passos. O projeto desta fazenda foi iniciado em 1943 pelo senhor José Coelho Vitor, fundador do Grupo Cabo Verde, patriarca da família. Atualmente a propriedade é administrada por um dos filhos, o Médico Veterinário pela UFMG, Mauricio Silveira Coelho.

O Grupo Cabo Verde integra na Fazenda Santa Luzia a engorda intensiva de suínos com a produção de leite e o melhoramento genéticos, das raças Gir e Girolando. “A área total desta propriedade compreende 900 ha, dos quais 675 ha são úteis. Destes 100 ha são cultivados para a produção de silagens de milho e de capim elefante, e os 568 ha restantes são explorados com pastagens nos níveis tecnológicos muito intensivo (são as pastagens irrigadas), intensivas e de médio a baixo nível de intensificação. Outros 400 ha são cultivados em outra fazenda para a produção de silagem”, destaca o professor.

Neste ano de 2018 o volume de leite produzido passará dos 13 milhões de litros, com volume diário médio de 35.793 litros, com 1.845 vacas em lactação e produtividade média por vaca de 19,4 litros. A produtividade média da área útil está projetada para 11.119 litros de leite/ha, considerando os 1.175 (500 ha para silagem e 675 ha para pastagens).

“O programa de melhoramento genético da raça Girolando da Fazenda Santa Luzia é o mais conhecido do país e foi a primeira empresa a exportar esta raça. O leilão anual da raça Girolando da Fazenda Santa Luzia é o mais concorrido do Brasil e anualmente bate recordes de preço médio por animal”, afirma Aguiar.

A Fazenda Santa Luzia atualmente é um modelo de gestão de recursos hídricos, de tratamento e reuso de dejetos animais e integração de atividades. O Grupo Cabo Verde atualmente é administrado pelos cinco filhos do Senhor José Coelho Vitor que atualmente está dedicando ao programa de melhoramento genético da raça Gir Leiteiro na Fazenda São José do Can Can. O rebanho Gir da São José do Can Can é também um dos mais valorizados do país e o leilão anual realizado junto com o da Santa Luzia bate recordes de preços.

Dois netos já trabalham na empresa, sendo um deles egresso do curso de Zootecnia da Fazu, o Zootecnista João Victor, que durante a graduação foi monitor voluntário e depois remunerado das disciplinas ministradas pelo professor Adilson, e defendeu o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com um projeto de pesquisa realizado no setor de Pastagens da Fazenda Escola da Fazu. Atualmente João Victor está gerenciando uma das fazendas do Grupo Cabo Verde no Sul do Estado do Pará do grupo.

O Grupo Cabo Verde integra várias atividades de exploração da terra: agricultura, tais como café (700 ha, dos quais 200 ha são irrigados) e grãos (milho e soja), em Minas Gerais, pecuária de corte, com fazendas em Minas Gerais (3.000 cabeças) e no Pará (24.000 cabeças), suinocultura em Minas Gerais (engorda em Passos e ciclo completo em Santa Vitória, com 6.500 matrizes e 15.000 cevados vendidos mensalmente), programas de melhoramento genético das raças Gir e Girolando (em Minas e no Pará), e Nelore e Tabapuã (no Pará) e a produção de leite na Fazenda Santa Luzia.

O professor Adilson presta consultoria nos projetos das fazendas Santa Luzia (Passos, MG) e Santa Lucia (Curionópolis, Pará) desde 1997.

Fazenda Centenária

No dia 13 de dezembro o trabalho foi na Fazenda Centenária, em Cedro do Abaeté (MG), propriedade da família de Luís Augusto Dumont, gestor deste projeto. A Centenária é uma propriedade de bovinos de corte que desenvolve o ciclo completo: cria, recria e engorda, de animais da raça Nelore e que vem adotando todas as tecnologias disponíveis para a intensificação da pecuária (estabelecimento de novas pastagens, controle de plantas invasoras e de insetos pragas, correção e adubação do solo, pastoreio rotacionado; calendário sanitário; suplementação programada; programa de melhoramento genético; IATF, etc.).

O professor Adilson acompanha este projeto desde 2007 com duas visitas por ano. Nesta visita específica o professor Adilson foi avaliar os plantios de pastagens, o programa de correção e adubação de solo para intensificação da produtividade de pastagens já implantadas, como também os programas de controle de plantas invasoras e de cigarrinhas-das-pastagens, da safra 2017/2018. Esta visita também teve como objetivo o planejamento da safra 2018/2019.

Fazenda Canoas

O professor Adilson e Lucas trabalharam no dia 14 de dezembro na Fazenda Canoas, em Luz, onde o senhor Geraldo Pinto Fiuza e sua esposa Dona Amélia Lino Araújo, e dois de seus filhos, a Médica Veterinária Tânia Fiuza, e o Engenheiro Agrônomo Márcio Fiuza, selecionam Gir Leiteiro e produzem animais ½ sangue Girolando desde a década de setenta. “Estes animais são vendidos para todo o país e a partir de 2017 a Fazenda Canoas vem fazendo parte de um programa de exportação de animais Girolando da Associação de Criadores desta raça”, destaca o professor.

Atualmente a Canoas tem um rebanho constituído por 1.200 fêmeas da raça Gir em reprodução e faz uso de todas as tecnologias de reprodução atualmente existentes para a expansão do rebanho com animais de alto mérito genético. O rebanho total atual varia entre 2.000 a 2.100 cabeças em uma área de 749 hectares úteis, com taxa de lotação entre 2,6 a 2,7 cabeças/ha e 2,0 a 2,14 UA/ha. O professor Adilson está acompanhando este projeto desde o início de 2014 com duas visitas por ano. O mais interessante nesta família é que todos residem na fazenda, o que é raro no Brasil, mas é o comum em países desenvolvidos (EUA, Canadá, Europa, Nova Zelândia, Austrália, etc).

De acordo com o professor, esta visita teve como objetivo a avaliação dos resultados alcançados na safra 2017/2018 e o planejamento da safra 2018/2019: plantios de novas pastagens e de sorgo para a produção de silagem; produção de silagem dos capins Mombaça e Napier; o programa de correção e adubação de solo para intensificação da produtividade de pastagens já implantadas, o programa de controle de plantas invasoras, o planejamento alimentar para o período chuvoso de 2018/2019.

 

Deixe uma resposta