fbpx

Notícias

Professor da Fazu orienta projeto das Fazendas da Elmo Engenharia

//
Comentário0
/

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Adilson de Paula Almeida Aguiar, esteve entre os dias 16 e 19 de outubro, pela segunda vez em 2019, no projeto das Fazendas da Elmo Engenharia, na região norte do estado de Goiás, no município de Campos Verdes. Nesta viagem, o egresso de Zootecnia da Fazu Lucas Castro Silva, da Lancer Consultoria, trabalhou junto com o professor Adilson.

De acordo com o professor Adilson, são três propriedades de gado de corte de ciclo completo, com cria, recria e engorda de animais zebuínos e cruzamentos numa área total de 8.483 ha e com área útil de 6.671 há. Na safra 2017/2018 o rebanho médio foi de 8.991 animais, sendo 2.600 fêmeas em idade à reprodução. A análise dos índices zootécnicos desta safra está muito acima da média nacional alcançada pelas propriedades de pecuária de ciclo completo, alcançando índices acima das metas estabelecidas. Até o dia deste último trabalho do professor Adilson ainda não estava concluído o fechamento dos índices da safra 2018/2019.

Em janeiro de 2016, o professor Adilson Aguiar trabalhou nestas propriedades pela primeira vez para inventariar os recursos do projeto para emitir um diagnóstico da situação atual (naquela data) e da potencial e apresentar uma proposta de trabalho. Neste projeto, o professor Adilson Aguiar é responsável pela orientação no manejo da pastagem (escolha de forrageiras; plantio e recuperação da pastagem; correção e adubação do solo; controle de plantas infestantes e pragas; planejamento de longo, médio e curto prazos etc.). Nas visitas entre várias atividades o professor Adilson ministra treinamentos para as equipes de gerentes das fazendas.

“O projeto está numa fase de mudanças para um programa de intensificação da produção de carne em pasto por meio da modulação das pastagens em piquetes para a adoção dos métodos de pastoreio de lotação alternada e rotacionada, e da correção e adubação do solo”, comenta o professor Adilson.

Na safra 2016/2017 foram intensificados 230 ha, na de 2017/2018 foram 664 ha e na safra de 2018/2019 foram intensificados 757 ha. A meta de taxa de lotação para estas áreas é de 3 UA/ha no período entre novembro e abril. No período chuvoso da safra 2017/2018 a produtividade alcançada nos 664 ha intensificados foi de 16.9 arrobas/ha, com ganho médio diário ano entre machos e fêmeas de 0.75 kg/cabeça/dia, enquanto que no período chuvoso da safra 2018/2019 a produtividade da terra alcançou 21.4 arrobas/ha, com ganho médio diário entre machos e fêmeas de 1.03 kg/cabeça/dia. Para a safra 2019/2020, serão 653 ha intensificados para alcançar 3 UA/ha no período chuvoso e mais 848 ha para alcançar 1.4 UA/ha média ano como correção e adubação de manutenção.

“Do início dos trabalhos, em 2016, até este último trabalho, o rebanho médio e a taxa de lotação aumentaram em 68%, enquanto o número de fêmeas em reprodução aumentou em 49%”, finaliza.

Deixe uma resposta