Notícias

Professor da Fazu ministra palestra pela Scot Consultoria e orienta projetos pecuários

//
Comentário0
/
Categorias

O professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Adilson de Paula Almeida Aguiar, esteve trabalhando entre os dias 02 e 06 de outubro nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

 Encontro dos Encontros | Scot Consultoria

No dia 02 de outubro o professor Adilson Aguiar esteve em Ribeirão Preto (SP) para participar pelo sexto ano seguido do Encontro de Adubação de Pastagens, dentro de um evento maior que é o Encontro dos Encontros promovido pela Scot Consultoria, de Bebedouro, São Paulo.

O professor Adilson ministrou a palestra “Adubação potássica e nitrogenada: tudo o que eu preciso saber”, no dia 02, e ao final da tarde participou de um debate moderado pelo Doutor Eros Francisco, diretor do IPNI. Participaram deste painel os doutores Djalma Martinhão Gomes de Sousa (pesquisador da EMBRAPA Cerrado), e os professores Francisco Antônio Monteiro, da USP/ESALQ, Piracicaba, SP, e Douglas Guelfi, da UFLA, Lavras, MG. O professor Adilson também escreveu o texto da sua palestra o qual está nos Anais do evento.

Fazenda Vista Alegre

O professor Adilson trabalhou no dia 04 de outubro pela segunda vez no ano 2018 na Fazenda Vista Alegre, no município de Jaboticatubas, na região da grande Belo Horizonte. O professor acompanha este projeto há cinco anos com duas visitas por ano.

“É uma propriedade com área útil relativamente pequena para os padrões de fazendas de pecuária de corte do Brasil, com área de 487 hectares, mas é muito intensiva, com dois pivôs, somando uma área de 98 hectares. Nas últimas duas safras (2015/2016 e 2016/2017) a taxa de lotação média da propriedade foi de 3.3 animais por hectare com produtividade média de carne de 21 arrobas/ha, uma produtividade quase sete vezes maior que a média nacional, com ganho individual de 6.2 @ por animal ano sendo suplementados apenas com suplementos minerais e suplementos múltiplos de baixo consumo. Nesta safra 2017:2018 parte dos animais em fase de engorda estão sendo terminados em sistema de semi-confinamento com nível de suplementação de 0,8% do peso corporal. Os resultados da safra 2017/2018 serão fechados na pesagem de novembro”, destaca.

Além da atividade de recria/engorda de animais nelores, a fazenda seleciona cavalos da raça Mangalarga Machador. Neste projeto o professor Adilson Aguiar orienta o manejo geral da pastagem, nas seguintes áreas: implantação de novas pastagens; correção, adubação e irrigação do solo; controle de plantas invasoras e de insetos pragas, além de participar do conselho da empresa nas tomadas de decisões sobre o planejamento técnico e econômico de curto, médio e longo prazo, junto com a empresa PRODAP, de Belo Horizonte, que além do planejamento e da execução do planejado é responsável pelo programa de suplementação do rebanho. Leonardo Diniz e Igor Bianco são os técnicos da PRODAP responsáveis pelo acompanhamento deste projeto.

Projeto da BR Milk na Fazenda Larga

O professor Adilson Aguiar trabalhou pela segunda vez, nos dias 05 e 06 de outubro, no projeto da BR Milk na Fazenda Larga, no município de Formosa, GO para dar andamento na orientação da evolução deste projeto dando continuidade ao trabalho que começou em maio deste ano com a etapa de inventário de recursos com base no qual foi emitido o diagnóstico da situação atual e potencial deste projeto.

“A Fazenda Larga tem uma área total de 1.174 ha dos quais 823 ha úteis. Da área útil 180 ha são irrigados por 4 pivôs centrais. Atualmente 60 ha irrigados por 2 pivôs estão cultivados com capim-tifton 85 destinados à vacas em lactação, os outros pivôs são cultivados com soja e milho”, destaca.

Segundo o professor, os 2 pivôs explorados com pastagens estão modulados cada um em 20 piquetes divididos por cercas elétricas para o pastoreio de lotação rotacionada, com bebedouro em cada piquete. As pastagens em sequeiro (não irrigadas) são exploradas para as categorias de cria e recria de fêmeas leiteiras para a reposição. O projeto é relativamente novo, teve início com a compra de fêmeas leiteiras (bezerras e novilhas) em 2015.

“A meta dos proprietários é alcançar um rebanho com 1.000 vacas em lactação em uma área de 80 ha de pastagens de capim-tifton 85 irrigadas por pivôs centrais sendo suplementadas apenas com concentrados para um volume de produção de 15.000 litros por dia”, conta Aguiar.

A produção atual estava em 2.300 litros com 230 vacas em lactação, pesando em média 418 kg com produtividade média de 10 litros/vaca/dia. Pela evolução do rebanho em fevereiro de 2019 serão 696 vacas em lactação e uma produção diária de mais de 7.000 litros de leite.

Nesta etapa o professor Adilson fez orientações para o manejo do pastejo, o manejo da fertilidade do solo, o controle de plantas invasoras, a criação de bezerras, a suplementação concentrada, manejo de ordenha, gestão técnica e econômica.

Deixe uma resposta