fbpx

Notícias

Aluno da Agronomia desenvolve projeto para avaliar as características químicas de linhagens de soja especial para alimentação humana

//
Comentário0
/

Com o objetivo de avaliar as características químicas de linhagens de soja especial para a alimentação humana, o acadêmico do curso de Agronomia da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Thiago Vilela Tristão, desenvolve o projeto para descobrir as características agronômicas, químicas, físico-químicas e sensorial dos grãos. O projeto é desenvolvido por meio da EPAMIG (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais). A pesquisa teve início em março de 2014 e termina em março de 2017 e é orientada pela Dra. Ana Cristina Pinto Juhász.

De acordo com Thiago Vilela Tristão, o principal objetivo é avaliar através do Programa de Melhoramento de Soja para Alimentação Humana, cultivares de soja convencionais com características especiais, com estabilidade e adaptabilidade às diferentes regiões edafoclimáticas, ou seja, relativo aos solos e ao clima de Minas Gerais. “As linhagens a serem avaliadas serão colhidas dos Ensaios Preliminares de Terceiro ano de duas safras consecutivas. Além das características agronômicas satisfatórias, as linhagens devem possuir características que incentivem o seu uso pelo consumidor final, como boa aparência, sendo a cor e tamanho, a boa palatabilidade, de fácil cozimento e com características nutricionais superiores às cultivares usadas pela indústria de óleo”, informa o aluno Thiago Vilela.

A indústria de óleo exige que as cultivares possuam maior teor de óleo, característica oposta quando se deseja cultivares para o consumo, uma vez que neste caso maior teor de proteína é desejável. “Uma vez que as duas características são negativamente correlacionadas, a seleção para o aumento do teor de proteína causa a redução do teor de óleo e vice-versa”, explica o acadêmico.

Thiago conta que os objetivos do programa de melhoramento são diferenciados, e é de grande importância que se desenvolva cultivares com características especiais à alimentação humana. “Devido ao crescente uso deste produto pelos consumidores, como tem acontecido com o uso cada vez maior de bebidas preparadas com extrato aquoso de soja, por exemplo”, finaliza. 

O laboratório de Bromatologia da Fazu contribuiu com o projeto realizando análise bromatológica e qualitativa. ” A atividade ureática foi feita no projeto, não é uma análise de rotina do laboratório, é realizada somente em aula prática de bromatologia ministrada pela professora Renata Soares Serafim. Com o objetivo de auxiliar na pesquisa do acadêmico Tiago Vilela Tristão realizamos a análise em uma variedade de soja”, afirma a supervisora de laboratório Marta Tovo.

 

Sobre Thiago Vilela Tristão

Thiago Vilela Tristão tem 31 anos e é de Rondonópolis no Mato Grosso. Thiago está no 7º período do curso de Agronomia. A escolha pela Fazu foi pelo reconhecimento no mercado e no ensino do curso de Agronomia, segundo Thiago. “A Fazu contribui para a formação acadêmica de forma clara e concisa, pois a instituição está sempre buscando inovações e parcerias para o melhor desempenho do aluno. As aulas com professores qualificados e Campos Experimental em conjunto com sala de aula é um grande diferencial”, afirma.

Deixe uma resposta