fbpx

Notícias

Aluna da Agronomia desenvolve projeto para avaliar a disponibilidade de potássio em solos com diferentes texturas

A acadêmica do 6º período de Agronomia da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Samaanne Rodrigues Almeida Lemes, está desenvolvendo um projeto para avaliar a disponibilidade de potássio em solos com diferentes texturas e pH, a partir da incubação de um fertilizante potássico obtido pelo processo natural de moagem. O projeto está sendo desenvolvido por meio do Programa de Iniciação Científica (PIC/PIBIC), em parceria com a empresa Yoorin Fertilizantes, sob coordenação do professor Dr. Saulo Strazeio Cardoso. Samaanne recebe ajuda do aluno do 6º período, Rafael Bessa Ribeiro, no desenvolvimento do projeto.

O potássio é o segundo nutriente essencial mais requerido pelas plantas e participa de diversos processos bioquímicos e fisiológicos das plantas. “Por causa do crescente consumo dos fertilizantes potássicos nos cultivos agrícolas, estudos vêm sendo realizados visando buscar alternativas para obtenção de potássio com base em minerais contidos em rochas brasileiras”, afirma Samaanne.

O experimento está sendo conduzido no Laboratório de Solos da Fazu. “O esquema fatorial 2 x 3 x 10, perfazendo 60 combinações, as quais são distribuídas em delineamento experimental inteiramente casualizado, com três repetições, perfazendo um total de 180 unidades experimentais”, explica.

A aluna contou que estão sendo utilizados dois pH, sendo na acidez natural do solo e uma corrigida para atingir uma saturação por bases de 60%. A parte prática do trabalho iniciou em abril e finaliza em agosto. O adubo potássico utilizado é o eKoSil da parceira da Fazu, a Yoorin Fertilizantes. “Comecei realizando uma correção da acidez do solo nas unidades experimentais pré-determinadas e posteriormente todas as unidades experimentais receberam uma única dose de 200 mg dm-3 de K  (rocha fonolito moída F2 (MC YOORIN F2)) o qual será cuidadosamente homogeneizados ao volume de solo correspondente para cada unidade experimental”, explica.

De acordo com Samaanne, em intervalos de 10 dias, são retiradas três repetições de cada tratamento os quais são determinados os teores de potássio disponível. Com base nos resultados obtidos, será feito um gráfico com a curva de disponibilidade de potássio nos solos.

Segundo informa o orientador do projeto, Saulo Strazeio, parte dos resultados do projeto será apresentado no congresso “FertBio” promovido pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. O evento acontecerá nos dias 16 a 20 de outubro de 2016, em Goiânia/GO.

Sobre Samaanne Almeida Lemes

Samaanne Rodrigues Almeida Lemes tem 22 anos e é natural de Itaobim/MG. Segundo a acadêmica, a escolha pela Fazu foi pelo fato de a faculdade oferecer ao aluno um suporte adequado para o seu desenvolvimento profissional, aliando teoria à pratica.

“Na minha opinião, a Fazu tem uma principal importância em formar profissionais qualificados para o mercado. Os professores e a estrutura qualificada para atender as necessidades dos alunos, além de ser uma instituição reconhecida internacionalmente pela sua qualidade são os grandes diferenciais da Fazu”.

2 Respostas

Deixe uma resposta