Notícias

Acadêmico da Fazu inicia pesquisa para avaliar três espécies de eucalipto

Com o objetivo de implantar, avaliar e conduzir pesquisa científica com Eucalipto (Eucalyptus), o acadêmico do 7º período do curso de Agronomia da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), Felipe Junqueira Reis Marchezzi, realizou na última sexta-feira (02) o plantio de 900 mudas das espécies citriodora, vermelho e clone 1524, na Fazenda Bela Cruz, em Morro Agudo (SP). A pesquisa é orientada pela professora Márcia Aparecida Borges Barbosa Barrado e faz parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do aluno.

O eucalipto tem grande importância comercial na economia brasileira. Segundo a Indústria Brasileira de Árvores, são 5,5 milhões de hectares plantados com este gênero, com uma produtividade média de 39 m³/ha/ano. A produtividade, contudo, depende de diversos fatores, como o local de plantio, os tratos culturais e os insumos disponibilizados.

Na pesquisa, Felipe  Marchezzi irá analisar no decorrer de um ano e meio os seguintes pontos: qual dos três exemplares de eucalipto terá maior porcentagem de ataque de formigas cortadeiras, pragas e doenças; o que terá melhor resposta em rusticidade, brotamento e tamanho visto a campo; o DAP (Diâmetro Altura do Peito) dos três exemplares implantados, com índice de IMA (Incremento de Madeira Anual); os custos de implantação das 900 mudas em 0,5 hectares; a resposta ao espaçamento utilizado nas mudas; o rendimento e futura cubagem rigorosa da madeira das três espécies plantadas.

“A ideia é avaliar o desenvolvimento da cada espécie, levando em consideração que as mudas foram plantadas na mesma região, no mesmo dia, e com o mesmo manejo. As expectativas para o projeto são as melhores, pois o solo dessa região é considerado muito bom para plantio de soja, cana-de-açúcar e milho, e com a cultura do eucalipto não será diferente, como essa cultura é mais resistente os resultados serão extremamente significativos”, afirma Marchezzi.

De acordo com Felipe, o interesse pela área da silvicultura surgiu ainda no início da faculdade. “No primeiro período do curso eu me perguntava se o eucalipto podia dar bons lucros financeiros e se realmente era viável, e, com isso, resolvi responder minhas perguntas na prática, através do trabalho. É uma grande satisfação também poder ajudar outras pessoas que possuem as mesmas dúvidas”.

“O aluno Felipe Marchezzi está de parabéns pelo ótimo trabalho de implantação de talhão Silvicultural desenvolvido. Ele sempre demonstrou muito interessante pela cultura e está sempre buscando conhecimento. É um grande prazer orientá-lo e firmar esta parceria”, destaca a professora Márcia Borges.

Felipe contou com o apoio do acadêmico Matheus Ferreira no plantio das mudas. Felipe e o colega são integrantes da Pro Farmers, primeira Empresa Júnior da Fazu. A EJ presta serviços de assistência agronômica nas culturas de cana-de-açúcar, soja, milho e sorgo; assistência zootécnica; planejamento de safra, manejo fitossanitário (MIP), análise de solos e de produção (biometria em campo); assessoria de gestão do agronegócio e organização de eventos do setor.

Felipe Marchezzi é natural de Ribeirão Preto (SP) e é filho do zootecnista Marcelo Marchezzi, egresso do curso de Zootecnia da Fazu, da Turma de 1988. Rodrigo Junqueira Reis Marchezzi, irmão de Felipe, também é acadêmico do curso de Agronomia da Fazu. “Meu pai sempre me contava as histórias, os momentos inesquecíveis e os grandes amigos que fez durante sua passagem pela Fazu, e tudo isso me motivou a escolher o mesmo caminho”.

Felipe irá colar grau em dezembro de 2019 e espera encontrar boas oportunidades após a graduação. “Sou apaixonado pela Agronomia em geral, acredito que qualquer área que eu tiver oportunidade de trabalhar será de grande valia e aprendizado. A cada dia que passa aprendo coisas novas e sinto que estou no caminho certo. Com o diploma na mão, profissionalismo, personalidade e responsabilidade eu vou conseguir alcançar todos meus objetivos”, finaliza Felipe Marchezzi.

Deixe uma resposta